---

  • ?
  • ?

---

  • ?
  • ?

Histórico

Publicado em 06/03/2014 às 17:02 - Atualizado em 10/03/2014 às 15:33

HISTÓRIA DO MUNICIPIO DE SALTINHO

 

Saltinho teve sua colonização efetivamente iniciada por volta de 1940, quando então chegaram nestas terras, caboclos oriundos em sua maioria do Planalto Serrano (Campos Novos).

Estes colonizadores vinham para fazer roças, as quais eram destinadas a fazer safras de porcos, que eram comercializados em cidades do Paraná.

Esta produção era levada em tropas, pelos carreadores existentes no meio do mato.

Com o aumento da população, foi surgindo uma comunidade, a qual recebeu o nome de São Sebastião do Saltinho, nome este em razão de ser São Sebastião, o padroeiro da Capela aqui existente e Saltinho, por existir várias quedas d’água, no curso do rio que corta o povoado.

 

 PRIMEIROS COLONIZADORES

 

Por volta de 1940, chegaram os primeiros colonizadores no município de Saltinho, embora se acredite que antes aqui habitaram índios Kaigangs.

Os Primeiros colonizadores, em sua maioria eram caboclos, sendo que somente alguns anos depois chegaram a estas terras os brancos alemães e Italianos.

Podemos dizer que entre os primeiros colonizadores estão as famílias: Neres, Simões, Xavier, Mariano de Freitas, Rodrigues da Silva, Queirós, entre outras. 

 

EVOLUÇÃO POLÍTICA

 

Com a emancipação de Campo Erê, o território do município de Saltinho, passou a fazer parte daquele município, que já em sua primeira administração, elegeu seus representantes para a Câmara de Vereadores, sendo Helmuth Afonso Pfeifer e Bráuli Rodrigues da Costa, Em mandatos posteriores, foram também eleitos como Veradores: Helmut Afonso Pfeifer, Orides Raizer, Rudi Scheidt, Darci Scopel, Antonio Trevisan, Avelino Magri, Eldo Janel e Arnélio Almeida Sutil. Na história de Campo Erê, também foram eleitos Prefeitos e Vice-Prefeitos, sendo: Helmuth Afonso Pfeifer, vice- prefeito, Valmor Xavier de Oliveira – Vice-Prefeito, Valdemar Dal Magro – Prefeito, Antonio Trevisan – Vice-Prefeito, e Nilton Raizer – Vice-prefeito.

A comunidade de Saltinho, descontente com as administrações existentes em Campo Erê e consciente do extenso território daquele município, passou a se organizar e lutar por melhores condições, sendo que em 25 de agosto de 1988 foi, elevado a categoria de Distrito, com o nome de SÃO SEBASTIÃO DO SALTINHO. Após este fato, criou-se uma comissão, a qual tinha a incumbência de tornar o Distrito em Município.

A Documentação foi encaminhada a Assembleia Legislativa, a qual em 19 de abril de 1994, aprovou por unanimidade a emancipação do município. Como não bastasse e a lei exigia, foi marcado um plebiscito para ouvir a vontade popular, para o dia 19 de março de 1995, resultado este que chegou a uma aprovação de 97% dos eleitores que foram as urnas.

No dia 19 de julho de 1995, o Governador do Estado de Santa Catarina, Paulo Afonso Evangelista Vieira, sancionou a lei de emancipação, estando presente no pavilhão comunitário de Saltinho.

Com a emancipação, o nome do município deixou de levar o evocativo, São Sebastião, passando a chamar-se apenas de SALTINHO.

Em 03 de outubro de 1996, foi à vez da população escolher o primeiro prefeito e vereadores, onde para prefeito concorreram Nilton Raizer, tendo como candidato a vice Dirceu Scopel, contra Hermes Báo tendo como vice Moisés Verona, sendo que ganhou o pleito a chapa de Hermes Báo e Moisés Verona, ambos do PPB.

A Câmara de Vereadores, para a legislatura de 1997/2000, foi eleita com os seguintes vereadores: Antonio Brisida – PT, Nelson Valentin Cividini – PFL, Valentin Francisco Matias – PFL, Dirceu Luiz da Silva – PT, Arnélio Almeida Sutil – PPB, Artêmeo Füchter – PPB, Valdecir Luiz Dal Magro – PT, Felipe da Silva Vaz – PPB e Nestorino Comonelo-PFL.

Com a instalação do município em 01 de janeiro de 1997, foi eleita à primeira mesa diretora da Câmara, tendo como presidente Arnélio Almeida Sutil, Vice – Antonio Brisida, 1º secretário Artêmeo Füchter e 2º secretário Nelson Valentin Cividini.

No ano de 2000, realizou-se a segunda eleição, sendo eleitos Arnélio Almeida Sutil, tendo como vice Marins Amaral de Freitas. E a Câmara de vereadores, assim constituida: Artemeo Fuchter, Antônio Brisida, Nestorino Comunelo, Cleiton Magedanz, Lauri Gonçalves dos Santos, Laudino Bortolozo, Sebastião dos Santos, Felipe Vaz e Marialvo Moraes de Azevedo.

No ano de 2004 realizou-se a 3ª eleição tendo como eleitos Deonir Luiz Ferronatto e Leonir Antonio Magri. E Câmara de veredores, assim constituida: Artemeo Fuchter, Nestorino Comunelo, Edemar Magedanz, Valdir Pereira dos Santos, Alaercio Pelentir, Antonio Comunelo, Valdevino Antunes de Ramos, Nelson Valentin Cividini e Sadi Vanderlei Bernardo.

No ano de 2008, realizou-se a 4ª eleição tendo como eleitos Deonir Luiz Ferronatto e Leonir Antonio Magri. E Câmara de veredores, assim constituída: Alaercio Pelentir, Antonio Comunelo, Neomir Pagani ( in memorian), Nelson Valentin Cividini, ráulio Casagrande, Lauri Gonçalves dos Santos, Ivo Mergener, Abel Joris Machado e Adelar Zimermann.

 

LOCALIZAÇÃO

 

O Município de Saltinho localiza-se na região oeste do Estado de Santa Catarina, tendo uma área de 158 km2, compreendendo um território, desmembrado do município de Campo Erê.

Saltinho tem como limite os seguintes municípios:

NORTE: Campo Erê;

LESTE: São Bernardino, São Lourenço do Oeste e Irati;

SUL: Sul Brasil, Serra Alta e Bom Jesus do Oeste;

OESTE: Santa Terezinha do Progresso.

Município pertence a Micro Região de Chapecó. Em termos de Organização Saltinho está filiada a Associação dos Municípios do Entre Rios (AMERIOS).

 

FORMAÇÃO DA COMUNIDADE

 

O Município de Saltinho é formado pela comunidade sede, e mais outras comunidades as quais até 1997, eram conhecidas por linhas, as quais agora são denominadas de Vilas, sendo:

Vila Valério; Vila Marafom;Vila Santa Helena;Vila Rosário;Vila Campinas;Vila Samambaia;Vila Santa Inês;Vila Santa Rita;Vila Boa Fé;Vila Santo Antonio;Vila Trevisan;Vila São Donato;Vila Alfa II;Vila Lageado Elizeu;Vila Lageado Cantu;Vila Bracanjuva;Vila São Cristovão;Vila Nova Primavera;Vila Vacum;Vila Medeiros;vila Matias e Vila Nova Vitória.

Existem ainda algumas localidades conhecidas como linhas sendo que ainda não possuem uma estrutura formada para serem denominadas de Vilas, tais como:

  1. Linha Fachin, em Vila Santa Inês,
  2. Linha Magri, em Vila São Donato,
  3. Linha Urutal, em Saltinho,
  4. Linha Progresso, em Saltinho,
  5. Linha Comunello, em Vila Marafon,
  6. Linha Aparecida, em Saltinho,
  7. Linha Nova, em Vila Santa Helena.

 

POPULAÇÃO

 

Saltinho tem grande parte da população caboclos, italianos e alemães, sendo famílias descendentes em sua maioria de gaúchos oriundos do Rio Grande do Sul.

Com base no último Censo, o município de Saltinho tem aproximadamente 3.961 habitantes.

 

RELEVO

 

Como na maioria da região oeste, o relevo de Saltinho é bastante acidentado, o que dificulta a mecanização da terra para agricultura, fator este que influenciou para a ocupação de pequenas propriedades, as quais predominam na agricultura do município, produzindo com o auxílio de mecanização e em regime de trabalho familiar.

 

HIDROGRAFIA

 

O nosso município é muito rico em águas, tendo em seu território, vários rios, os quais são de muita importância para a agricultura e pecuária.

Os rios do município em ordem de tamanho são:

RIO PESQUEIRO (Três Voltas) Rio que nasce tanto na cidade de Campo Erê como na Cidade de São Lourenço do Oeste, os quais se unem na divisa do município de Saltinho, passando então a ser o divisor com o município de São Lourenço do Oeste até o Município de Irati, banhando as localidades de Vila Bracanjuva e Vacum, até a divisa com o município de Sul Brasil.

RIO BURRO BRANCO – Nasce no Município de Campo Erê, na localidade de São Roque, passando pelo centro do território do município, banhando as localidades de Vila São Donato, Santa Inês e Samambaia, até a divisa com os Municípios de Serra Alta e Sul Brasil.

RIO SALTINHO – Nasce em território saltinhense, na localidade de Vila Santa Rita, passando as margens do Centro da cidade, até a divisa com o município de Serra Alta, rio onde existem vários saltos d’água, os quais deram origem ao nome do município.

RIO LAGEADO GRANDE – Nasce na localidade de Vila Marafon, passando por esta comunidade até a comunidade de Lageado Grande (Serra Alta)

RIO URUTAU – Nasce na Linha Urutal, próximo a cidade, passando pelo perímetro urbano desaguando no Rio Saltinho.

Existem também no município várias sangas das quais muitas não possuem denominações constituídas por leis.

 

MEIOS DE TRANSPORTES

           

O Transporte no município de Saltinho é totalmente rodoviário, sendo desenvolvido por caminhões, caminhonetas, ônibus, carros de passeio, motos, carroças e cavalos.

O Transporte coletivo é realizado por ônibus, sendo a empresa Reunidas, que transporta a população para os municípios da Região e empresas municipais que fazem o transporte interno de passageiro.

Tendo em vista a grande extensão territorial, para um município com pequena estrutura e o relevo bastante acidentado, fazem com que se torne difícil a conservação das estradas vicinais e de acesso as propriedades.

O Município mantém um departamento de Transporte, o qual procura conservar as estradas do município, proporcionando condições de tráfego.

No ano de 2004 foi inaugurado o asfaltamento da rodovia SC 160 que atravessa a sede do município ligando-o a Serra Alta e Campo Erê.

 

ÓRGÃOS PÚBLICOS

 

No município de Saltinho mantém em funcionamento alguns órgãos que são de vital importância para a população, sendo:

BANCO DO BRASIL, um posto avançado da CAIXA ECONOMICA FEDERAL, uma Agência da SICOOB, um posto do BRADESCO e uma LOTÉRICA.

CORREIO – Uma Agência de Correio.

DELEGACIA DE POLÍCIA: A Segurança Pública do Município de Saltinho é exercida pela polícia Militar, a qual possuem em seu 4º Grupamento, quatro policiais.

 

 

 

RELIGIÕES

 

A diversidade de culturas faz com que a população mantenha diferentes crenças religiosas, as quais manifestam sua fé em Deus participando de suas igrejas.

A maioria da População Cristã é católica, merecendo também destaque outras igrejas como a Igreja Evangélica Assembleia de Deus, Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, Igreja Evangélica Deus é Amor, Igreja Evangélica Luterana do Brasil, Igreja Evangélica Brasil Para Cristo, Igreja Quadrangular e outras.

 

AGRICULTURA

 

A Agricultura do Município é basicamente de economia familiar, onde o uso de máquinas tem se intensificado, destacando-se a produção das culturas de milho, feijão, fumo, soja, frutas e verduras.

A Agropecuária é outro fator marcante na economia do município com destaque para a criação de bovinos de corte e leite, suínos, caprinos, ovinos e aves.

 

 

 

COMÉRCIO/INDÚSTRIA

 

O Comércio do município é constituído de bares, lojas, mercados e cooperativas os quais procuram oferecer a população quase todos os produtos necessários. Neste sentido, toda a população pode comprar o que é de seu interesse sem sair do município.

O setor industrial constituído pela indústria têxtil e moveleiro gerando centenas de empregos.